sábado, 24 de maio de 2014

AS SEM-RAZÕES DO AMOR (Carlos Drummond de Andrade)

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.


Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.


Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.


Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.


   

3 comentários:

  1. Linda poesia, eu não conhecia essa, mas adorei!
    E parabéns pelo blog também!
    Abraço, Lerissa. :D
    lerissakunzler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Essa poesia de Drummond é linda mesmo, muito obrigado por sua participação Lerissa, estarei seguindo seu blog, grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Linda essa poesia. Mesmo. Aos poucos estou me apaixonando ainda mais por Drummond.
    Parabéns pela escolha.
    http://sweetssbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir